Domingo foi dia de latada, como é mais que obvio tinha de ir a esse magnifico evento da vida académica.

A todas as pessoas a quem digo que já estou na universidade, a primeira coisa que dizem: – “aproveita bem esta fase que é das melhores de que tenho memória!”

É isso que tenho feito. Tenho aproveitado cada segundo ao máximo e tanto quanto as minhas dores físicas me vão permitindo.

Uma das melhores experiências da universidade tem sido a praxe.

É certo, que este assunto costuma dividir opiniões e está sempre sujeito a enormes juízos de valor, eu própria não tinha esta ideia da praxe, dai ter sido a melhor descoberta por fiz por cá.

Sinceramente acho que já está mesmo na altura de fazer mais partilhas positivas da praxe.  Já chega de não refletirmos e de teremos opiniões generalizadas. Lá porque ouvimos (só) mau exemplo não quer dizer que isso seja uma regra.

Eu própria, confesso (e a minha comissão de praxe que não me ouça) não tinha uma opinião muito positiva da praxe, precisamente porque (não sei por alma de quem) só os maus exemplos e más praticas veem a publico.

Decidi dar uma oportunidade à praxe e lá foi eu experimentar. Foi a surpresa das surpresas.

Aliás, esta foto diz tudo que é difícil exprimir em palavras.

O que tenho experienciado na praxe é tudo de bom. Amizade, companheirismo, entreajuda e respeito pelo próximo.

Só existem maus exemplos, não é? Então pronto, cheguei para mudar a imagem da praxe. Cheguei para dar o meu exemplo e para dar uma voz positiva aquilo que neste momento, me tem feito muito feliz.

E porque nem o céu é o limite, a descer(os clérigos) toda a comissão de praxe ajuda. E está sempre lá para tudo o que eu precisar. Ponham os olhinhos nisto. A casa das artes é a melhor.