3 segredos dos resilientes

Na maioria dos dias, principalmente quando as dores não me deixam em paz um segundo, apetece-me abrir o fecho-eclair, libertar os ferros (queridos) do meu corpo e deixar de sentir dor.

Chega a ser desesperante, não ter como distrair a dor durante um dia inteiro, nem conseguir dormir de noite pela mesma razão. All the day, all the night. 

 Ser-se resiliente não é uma coisa que esteja ao alcance de todos, mas o facto de eu ser uma miúda resiliente, não me dá o direito de achar que sou mais forte do que os outros , simplesmente porque eles não acreditam nos dias de sol. 

Eu, embora seja resiliente, às vezes também sou descrente. Esta é a realidade.

 Até a pessoa mais forte de todas, pode desmoronar-se a qualquer momento. Aliás, se formos a analisar bem, todos nós temos, os dias bons e maus.

Mas afinal qual é o segredo dos resilientes?

1-SENTIDO DE HUMOR

Acredito que o sentido de humor seja uma boa forma de estar na vida. 

Há momentos que se eu não inventar uma piada para me rir de mim própria, dou completamente em maluca e como chego a um ponto de exaustão tal (de dores físicas e psicológicas) que se não temperar as coisas com um bocadinho de humor. Se não tivesse esta capacidade, ou dava em maluca ou era mesmo mal resolvida, com a mania que o mundo tem culpa dos meus próprios problemas.

2-RECONHECER O SEU SOFRIMENTO 

Pode parecer estranho, porém, as pessoas resilientes são as primeiras a reconhecer o seu sofrimento. Por outro lado, são também os mesmos que inicialmente, nunca o partilham com os outros.  

A sua vida não tem enfase no seu próprio sofrimento, mas sim nos outros, com os quais procuram aprender lições diárias.

3-CAPACIDADE DE ACEITAÇÃO

Quando já estamos no patamar em que nos rimos dos nossos próprias defeitos como se fossem virtudes,  temos também que nos aceitar sem reservas e perceber que o contexto em que estamos é apenas isso: um contexto que pode ser moldado e modificado a qualquer momento. 

No meu caso, não foi escolha, ter ou não ter, um fecho-éclair feioso e doloroso nas minhas costas, ainda assim diariamente escolho convier de forma saudável com ele.

 Apesar de tudo, escolho fazer acontecer a muinha vida, em vez de salientar apenas e só o sofrimento.

 Por exemplo, se sempre gostei de usar bikini, porque razão iria deixar de o fazer? Simplesmente porque é gigante dá nas vistas?

Na verdade, vamos aprendo a gerir as coisas da melhor forma que a vida nos ensinar.  A certa altura, já temos maturidade para entender o porquê de as coisas não acontecerem no timing que para nós era o certo, ainda assim para vida ainda teremos mais um compasso de espera.

Os resilientes são eternos observadores do mundo que as rodeia, extremamente introspectivos na suas reflexões, nas quais por muito que haja “nevoeiro” o lado positivo prevalece sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *