O Estado precisa de óculos!

Então não é que,de repente,precisamos todos de um par de óculos? 

As polémicas são o que são e valem o que valem mas, de facto, ao ver a notícia de que “Crianças e jovens com óculos recebem até 121 euros de subsídio mensal” não consigo não ficar indignada. 

Não tenho nada contra cada um reclamar os seus direitos. Se os direitos existem há que usufruir deles. O que não consigo perceber é a forma como  a Segurança Social trata uns casos com tanta leviandade e outros com tanta rigidez e “desumanidade”.

Como sabem a minha incapacidade, infelizmente, é permanente e por muito que faça fisioterapia e todos os tratamentos existentes no mundo, ela, a incapacidade, não me larga nem por nada. 

Acontece que mesmo já tendo um atestado de incapacidade PERMANENTE onde esta  está mais que comprovada  (com relatórios médicos, exames, etc) quase todos os anos, até aos 18 anos, fui chamada a comparecer em diversas juntas médicas para COMPROVAR A MINHA INCAPACIDADE. 

Todos os anos a mesma humilhação de sempre. Médicos em frente a um computador a falar comigo, a perguntar tudo e mais alguma coisa sobre mim e sobre a Paralisia Cerebral. Sei que é o trabalho deles, mas eu,das vezes que lá fui,achei que era uma invasão total ao meu espaço. 

Alguns, com bom senso, perguntaram, por diversas vezes:-“Mas o que faz aqui? Já temos tudo o que precisamos…!”Eles já tinham tudo, mas a segurança social achava que não. O que fazer perante isto? Ir lá e esperar que não me suspendessem o subsídio e não se lembrassem de me reduzir a incapacidade.

E agora digam-me, faz algum sentido?

 Como é que uns através de um simples requerimento   e um relatório médico conseguem comprovar  a sua “deficiência” (não tão óbvia!) perante o estado e outros com mais limitações  e MUITO MAIS necessidades têm de passar pela humilhação de contar todos os pormenores da sua vida(desde que nasceu!) a um médico, que para todos efeitos é um estranho a querer saber tudo (até ao mais ínfimo pormenor!) daquela pessoa que acabou de conhecer? 

O mesmo Estado, a mesma entidade, critérios diferentes!

Dá para entender isto?

4 comentários em “O Estado precisa de óculos!

  1. Beatriz Responder

    Não dá para entender. Eu sei o que isso é. Eu tenho im filho com uma incapacidade profunda,
    provada por delegado de saúde em criança, regirçada aos dezoito anos e para ter direito a uma pensão teve que ser presente a juntas médicas….uma vergonha. Usa óculos tem quinze diopetrias, tem um subsídio de duzentos e setenta euros, que nao chega para pagar o CAO que frequenta. Agora dão cento ecral euros a crianças que usam óculos e frequentam escola normal, sem maia nenhum encargo paraos pais….

  2. Cristiana Marques Responder

    E a dualidade de critérios mesmo entre casos de deficiência comprovada?
    Supostamente seguem uma tabela e a tabela é igual para todos.
    Mas alguns médicos devem ser míopes ou fingem cegueira para não ver certas coisas.
    Se não nunca atribuiriam a alguém com maior incapacidade, uma percentagem menor.
    Enfim!

  3. Vera Marinho Responder

    Olá Ritinha,

    Desigualdade e desumanidade é que prolifera em Portugal, em pleno século XXI e, infelizmente, a tendência é piorar. O problema reside essencialmente nas pessoas. Ou seja, como disseste e bem, há médicos com bom senso (uma raridade nos dias que correm), mas a maior partesegue todo um guião sem sequer olhar para quem está à sua frente. Em serviços que precisam de pessoas, de sensibilidade, temos robôs especificamente formatados para aquela tarefa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *