O copo meio cheio

Um mundo virado de pernas para o ar, muitas vidas perdidas e a esperança de voltarmos a vislumbrar o mundo como sempre foi. 

Nunca como hoje um tema passou a ser atualidade, de todos os nossos dias, por tanto tempo. É sabido que a humanidade já passou por guerras, catástrofes e privações complexas. 

O certo é que hoje os tempos são muito diferentes daqueles que se viviam durante as duas grandes guerras e as perspectivas em relação ao rumo do mundo eram bastante distintas. Para além disso, agora o inimigo não é propriamente visível a olho nu. 

Portanto, pouco nos resta senão esperar que a vacina seja a salvadora que dizem ser e que os casos estabilizem para podermos finalmente sair de casa, na esperança da tão aguardada e pedida normalidade.

A grande questão é: Onde vamos buscar a esperança se estamos perante um mundo devastado?

Numa primeira análise, estamos até a ser egoístas, porque ao contrário de tantas outras pessoas, estamos em casa solitários, é certo, mas com a saúde física intacta. Numa segunda analise, se calhar não nos devíamos sentir assim tão egoístas porque na verdade uma mente saudável e feliz, livre de pensamentos tóxicos é tão ou mais importante do que um corpo saudável.

Todos nós lidamos com isto de maneira tão distinta, uns mais otimistas por natureza, e outros para quem se a vida já era um lugar de muitos sentimentos opostos e algum sofrimento, agora isso ainda se consegue intensificar muito mais.

Independentemente do nosso mindset ser mais positivo ou não, a verdade é que todos nós por um momento que seja já nos questionamos, nas mais diversas formas, sobre a ordem do mundo e o porquê de nos estar a acontecer algo com esta dimensão, aqui e agora.

Chega até a ser tão surreal que por muitas vivências e experiência de vida que tenhamos nenhuma se equipara a esta.

Mais do que nunca, percebemos que o mundo e a própria vida na terra é algo de transcendente e que achávamos conhecer bem, mas no fim de contas chegamos à conclusão de que nada sabemos.

Para quem, como eu, gosta de ter tudo controlado e nunca aceita muito bem o timing do universo, isto é uma verdadeira prova de fogo. E a prova de que independentemente da nossa crença, na vida às vezes para colhermos o bem até podemos demorar muito a plantar, pois requer muito tempo, pensamento e ponderação, mas quando tiver de ser, será. 

Há sempre quem veja o copo meio cheio e quem pela sua perspetiva veja o copo sempre vazio. O importante é seguirmos sempre o caminho, com maturidade e a clareza que o pensamento nos permitir, com a certeza, porém, de que ainda que os obstáculos existam, nenhum será maior do que o nossa força interior.