Calma,porque eu ainda não falei!

 

IMG_13

Olá, vamos conversar?

Era mesmo o que me apetecia responder a algumas pessoas, aquelas que não têm noção de nada, no entanto, acham que sabem tudo e mais alguma coisa. Partem do princípio, que tudo aquilo que é óbvio, é também uma verdade absoluta.

Basta eu dar um passo, que vão logo tirar o ADN a esse movimento, para que logo de seguida façam a ficha completa sobre a minha pessoa. Só mesmo por um passo, nada mais.

Nem preciso de falar, basta-me estar em silêncio para perceber que os precipitados que se vão cruzando comigo nesta vida, tiram conclusões, também elas muito precipitadas sobre mim e sobre a minha condição física.

Seguem-se logo, uma longa lista de questões, muitas questões que temem em esclarecer… Tudo e mais alguma coisa, ali mesmo na hora. Sabem o que é o mais engraçado? Nem se dão ao trabalho de disfarçar essa curiosidade simplória que sentem e que querem a toda a força esclarece-la só porque sim.

E a partir daí começam logo a “escrever o argumento” para um grande filme.

Olhando para os olhos dessa gente precipitada já consigo saber quais são os seus pensamentos.

Passo a transcreve-los (não todos porque é uma lista indeterminável)

“Ai! Coitadinha” “Deve ser mesmo infeliz a viver com isto” “Não deve ser nada como os outros adolescentes da sua idade” “Claro que ela se pode apaixonar, mas terá de se apaixonar por um igual a ela, pois assim não se sentirá tão inferiorizada”.

Mas que falta de senso.

Quando trocam algumas palavras comigo e se apercebem que reajo de forma normal, o cérebro deles dá um nó, ficam sem saber o que fazer, ou melhor, a única coisa que querem fazer (e urgentemente) é descobrir onde está o erro.

Ficam a achar sempre que devido há minha diferença física, tenho de ser obrigatoriamente diferente dos outros em tudo. O que eu acho é que estão constantemente a ver se descobrem mais algum “erro de fabrico” para além do “erro” físico.

Como tal, enquanto não descobrem esse outro “erro de fabrico” que pensam existir, (mas que não verdade não existe, nem nunca chegou a existir), decidem olhar-me fixamente com olhos de pena e também de quem está mortinho de fazer um “interrogatório” para poder sacar mais informação.

Escusado será dizer, que partir desse momento eu também os olho fixamente e já estou prevenida para o quem vem a seguir a esta troca de olhares. Espero tudo e mais alguma coisa: ou seja, que digam as maiores barbaridades pela boca fora ou até, que me comecem a olhar com bastante pena e compaixão e a tratar-me como se tivesse voltado a ser pequenita outra vez. Para eles sou uma bebé de colo que precisa de ser altamente protegida pois não tem noção de nada.

É precisamente por causa destes “erros” que alguns cometem no seu pensamento, que o preconceito ganha forma. Sim! Todos nós cometemos erros, o grande problema é que as pessoas que olham para os outros com preconceito, raramente reconhecem que o seu pensamento está errado, não deixado que ninguém lhes retifique esse “erro” de pensamento mostrando-lhes que a realidade não é aquela que erradamente e infelizmente, já está formatada nas suas cabeças.

O que fazer, para contrariar pessoas teimosas e bastante precipitadas que não querem, nem por nada, abrir os seus horizontes e agir como pessoas normais que vivem em pleno século XXI?

Absolutamente nada! Apenas limito-me a continuar a agir como uma pessoa normal, na esperança de que, quando o cérbero delas der novamente um nó apertadinho, percebam que a única coisa que têm de fazer para que esse nó se desfaça novamente é “abrir os seus horizontes” e moderar as suas atitudes de saber estar, lidando, de forma normal, com a diferença. Será assim tão difícil? Penso que não!

Embora estas pessoas me façam bastante “confusão”, confesso que já estou naquela fase do “tanto faz” porque, por muito que não goste que o mundo tenha pessoas como esta mentalidade tão tacanha e pequenina, também não posso estar constantemente “abrir os olhos e a mentalidade” a esta gentinha ignorante. Eles se estiverem interessados que aprendam sozinhos. Limito-me a dar-lhes dicas de tolerância e felicidades com sorrisos simples.

Sabem que é que eu tenho mesmo de fazer e de forma constante? Agradecer a todas as pessoas que caminham comigo nesta estrada de curva e conta curva, para que em conjunto passemos uma imagem real da diferença, e que me ajudem a viver da melhor forma, sempre alegre tolerante e feliz.

Porque as “nossas pessoas” (os amigos e familiares) são os melhores para nos ajudarem a viver a vida literalmente a voar. São eles que fazem isso todo dia comigo, de forma tão intensa, que acabamos por contagiar os outros que estão em redor. E ainda bem que assim é!

Por isso, por tudo e mais alguma coisa, obrigada aos que me apaparicam de carinho clarividente com atitude positiva, obrigado também a vocês que me seguem desse lado e também já são um bocadinho meus!

Eu sou em parte aquilo que quem gosta de mim faz de mim ser.

Partilhem este meu texto pelos amigos, sempre chegará a mais alguém que precisa de mudar a atitude perante a diferença.

P.S: Eu sei que isto é mau! Mas por diversas vezes farto-me de rir e divertir à custa das “pessoinhas” ignorantes que me vão aparecendo á frente!

24 comentários em “Calma,porque eu ainda não falei!

  1. Nela Gomes

    “pessoinhas ignorantes”, exactamente isso!
    É o que sinto, sempre que me fazem perguntas estúpidas acerca do meu filho.
    A ignorância de certa gentinha que se acha muito esperta é de bradar aos céus.

  2. Conceição Cardoso

    És uma mulher com M (maiúsculo mesmo) Rita.
    Uma linda Mulher que admiro muito, tenho uma filha com 17 anos com um problema de saúde que não aceita (ainda espero eu). Gostaria que ela tivesse a tua força, o teu olhar sobre o Mundo e a tua resiliência e beleza interior, exterior tem tal como tu .
    Beijo grande de uma admiradora e seguidora,
    Conceição

  3. Ana SIlva

    Ola :
    Rita o que os outros pensam não te deve afetar pelo contrario vales , mais do que muitos ditos ( normais).
    Tenho uma amiga ,paciente mas em primeiro lugar Amiga , com Paralisia cerebral mas só fisicamente . Excelente como pessoa e ser humano .
    Há e já agora sou fisioterapeuta dela .
    Muitos abraços e beijinhos para ti
    Ana Silva

  4. Cristina Veloso

    Só me apetece dizer: Ah, Grande Mulher!!!!
    Parabéns pelo texto, parabéns por seres como és!
    E, não, isto não é mau. É, pelo contrário, muito bom! Ser ignorante é que é muito mau…

  5. Maria de Sousa

    Minha querida, as limitações encontram-se nos preconceitos e na ignorância. Se essas pessoas olharem bem à volta há gente com “limitações” que concretizam e conquistam muitas mais batalhas e medalhas do que elas próprias. Não ligues. Continua tal como és, pois és maravilhosa e grande. Um abraço do tamanho do mundo.

  6. Mª Jesus Valente Oliveira

    Muito Boa Ritinha! Devias estar a precisar de desabafar…e eu a precisar de te ouvir e ler. Muito agradecida por também tu me ajudares a desafazer o resto de preconceito que provavelmente tinha. Tenho quase 70 anos e sempre aprendi a olhar Os como tu de coitadinhos. Mais isto foi em meados do seculo XX. Deus te abençoe minha linda jovem. Já tinha Saudades tuas. E gostei imenso de ter teu pai na RTP1 no Hávolta! Grande Mário Augusto. BEIJINHS amigos

  7. Helena E Santo

    Boa atitude, Rita e que belo texto! Tens a noção de como estás a escrever bem? Beijo.

  8. Elisabete Coelho

    É assim mesmo Ritinha sorrisos a essas pessoinhas bjs. Elisabete Coelho

  9. João Duque

    Rita, apesar de não te conhecer e termos quase 20 anos que nos separa este teu desabafo tocou e focou algo em mim que desconhecia, e que fará certamente mudar a forma como irei pensar doravante. Este teu pensamento foi me apresentado por uma pessoa que mais amo neste mundo e que aceita me como sou pelo que sou, desejo te as maiores felicidades do mundo e que consigas obter o que mais desejas, obrigado por existires!

  10. Nuno Silveira

    Olá Rita sou pai da Inês que é uma princesa como tu com 13 anos. E a minha mãe,quando alguém fazia algum comentário tipo ‘coitadinha da menina’ ou algo do género, era melhor sair da frente, desancava a pessoa de cima a baixq. E nós utilizamos uma estratégia que até resulta, quando alguém fixa o olhar na Inês, nós fixamos também essa pessoa,seja ela adulta ou criança. Ninguém gosta ser observado

  11. Maria Manuela Fragoso Lopes

    As pessoas que te olham como uma coitadinha são mesmo pobres de espirito. Continua com esse lindo sorriso. Um grande beijinho 🙂

  12. Maria Manuela Fragoso Lopes

    Que pobres de espirito esses que olham como se fosses uma coitadinha. Continua com esse sorriso lindo 🙂 . Um grande beijinho

  13. amarquesmano

    Obrigado pelo momento de auto-reflexão .

  14. Custódia Coroa

    Olá Rita

    Gostei de te ler. Passo cá de vez em quando e é sempre um prazer. Como tem evoluído a tua escrita 🙂
    Coitadinhas são essas pessoas pobres de espírito, cujos horizontes não vão além dos 5 cm em torno do seu umbigo!
    Tenho um filho de 35 anos, com paralisia cerebral, a quem tento desde sempre proporcionar a melhor qualidade de vida possível. Acompanha-me na maior parte das minhas saídas, seja a um concerto dos Xutos (que adora) ou a um concerto de música clássica, a ver uma exposição ou a comer umas sardinhas nos santos populares. E quando alguém começa a olhar para nós por cima do ombro ou a fazer o comentário do coitadinho, uso a estratégia referida aqui em cima pelo Nuno Silveira e também olho bem nos olhos dessas pessoas e por vezes refiro: nós somos felizes e espero que o/a senhor/a também seja! Resulta sempre 🙂
    Um grande beijo para ti e sê sempre feliz!

  15. Lucília Diogo

    Minha querida Rita, a minha avó dizia “vozes de burro não chegam ao céu”. Agora digo eu, sem tratar mal esse animal tão inteligente que é o burro, só fala mal quem não tem qualquer autoestima. Olham para o seu umbigo e descarragam nos outros as suas próprias frustações. És superior a qualquer dessas pessoas. Beijinhos.

  16. aosolhosdarita Autor do artigo

    É verdade resulta sempre também costumo utilizar essa estratégia 🙂 Ahhahah! Um beijinho 🙂

  17. Orinda Teixeira

    Sabes Rita , eu penso que pessoas ignorantes não me merecem resposta e por isso quando me surge alguém desse gênero, ignoro!!!
    Beijo grande e continua a ser feliz porque é tudo aquilo porque vale a pena lutar nesta vida.

  18. margarida rebelo

    os cães ladram e a caravana passa!! deixa-os falar , olhar perguntar , porque tu estás muito acima deles!!! beijos linda bébé!!

  19. Esperança Ceia

    Obrigada Rita por falares, por dares voz aos teus sentimentos e direitos, falas por milhares de outras Ritas que não têm a tua coragem. Grande Mulher Deus te abençoe sempre assim como à tua familia e continua a dar voz aos teus sentimentos e à tua presença, és linda!

Os comentários estãos fechados.