A Joana Rita

5d15d42b-c7f8-4eb7-83d3-82cfe120cc45

A minha tarde de ontem foi daquelas que apetece repetir ao longo de todas as tardes do ano!

Acho que todos nós gostamos de sentir isso quando estamos acompanhados de pessoas que são especiais para nós! Não será verdade?

Pois bem!

Se eu agora estou com esta forma de escrita a passar-vos esta mensagem de maneira estruturada! Isso não se deve só a mim! Deve-se também, fundamentalmente, a um trabalho de “bastidores” muito bem feito, bem conseguido e não estou só a falar dos meus pais e da minha família mais próxima, (os meus pais os meus irmãos os meus tios e primos o meus avós) mas sim, de pessoas que sempre me trataram com muito carinho e que sempre acreditaram em mim, fizeram também com que eu própria ganhasse auto confiança para ter traquejo na vida e conseguisse ultrapassar todos os obstáculos que ela me ia e vai apresentando!

Uma dessas pessoas foi, a Joana Rita!

Eu quando entrei para a primária, os meus pais, embora acreditassem em mim, não sabiam, muito bem, quais iam ser as “cenas dos próximos episódios”, era tudo um pouco incerto, era a novidade (tanto para mim como para eles) e nunca souberam muito bem como é que eu iria reagir!

A verdade é que a vida me tem dado presentes surpreendentes!

Deu-me uma professora primária excelente, a professora Rosa, que nunca em momento algum desistiu de mim, era exigente comigo (porque acreditava que eu era capaz) e nunca aceitava o: -”eu não consigo” como resposta. Ela tinha a noção de que, naquela idade eu tinha que dar tudo, para que mais tarde já tivesse as ferramentas necessárias, para me desenrascar sozinha.

A verdade é que ela sabia que eu naquela altura (como qualquer outra pessoa) não iria ganhar a tal independência de um momento para o outro!

Então decidiu falar aos meus pais de uma miúda linda (por dento e por fora) de seu nome, Joana Rita (só tenho Ritas lindas, por dentro e por fora, na minha vida, não acham?) jovem em quem ela tinha confiança plena, estava certa de que, as duas iriam formar uma bela equipa na idealização e determinação do meu percurso escolar!

E assim foi. O meu pai entregaram-me com plena confiança à Joana Rita!

Quase todos os dias tínhamos encontro marcado primeiro para o trabalho e depois para diversão garantida!

O certo é que eu sempre fui uma pessoa com os níveis de preguiça constantemente ativados!

E então, a professora Rosa começava durante o dia a desativa-los nas aulas e depois a Joana Rita dava continuidade (em casa) a esse árduo trabalho de “desativação (quase) completa, de todos os níveis de preguiça”! Arranjava sempre uns belos “estratagemas para me dar a volta”!

“Joana! Já estou cansada (não estava nada, mas mesmo assim tentava sempre que ela se acreditasse nisso)

“Rita! Vá lá só mais um bocado…a seguir falamos um bocado das tuas cores de vernizes preferidas e eu mostro-te uns novos que acabei de comprar! Ah mas só mostro se parares de aldrabar a letra” (só desta forma é que eu trabalhava a sério! Ahahha é que não sei se já repararam eu sempre fui e continuo a ser extremamente vaidosa)

Eram assim passados os nossos finais de tarde.

Eu que sempre adorei estar na companhia de adultos…a Joana Rita sempre foi a companhia perfeita!

Gabo-lhe a paciência que sempre teve comigo! Porque reconheço, agora que ela me conta todas as peripécias dos nossos finais de tarde, que eu sempre fui e vou continuar a ser, bem preguiçosa (ahahha), até hoje, não consigo perceber como é que ela não perdeu a paciência! É que quando estou “em modo: preguiça” dizem que consigo levar as pessoas à exaustão. Acreditem!

Muitas vezes (tantas que nem tem conta) ela foi a minha conselheira, a minha melhor amiga, uma das pessoas que me incutia disciplina e me tirava da sorna! Tivemos momentos de tudo!
89f9698f-b32d-45af-baf3-69f4d2ee1dfd
Digam o que disserem, venha quem vier, mas não há dúvida nenhuma que em qualquer se profissão se consegue distinguir as pessoas trabalham com gosto e que têm um dom especial, e as outras que estão sempre de mal com a vida pois não fizeram a escolha certa e no final de contas, devem achar que os outros é que têm culpa disso, não? Não sei digo eu!

Sempre vi um brilho especial nos olhos da Joana a ensinar-me, tem um dom especial para ensinar! Ela é uma pessoa especial! Essa magia que sempre me passou ao ensinar-me sem dúvidas que mudou a minha vida e a perspetiva

Escusado será dizer que tanto eu com a Joana, conseguimos transmitir valores uma à outra! A Vida é sempre uma atitude reciproca de dádiva.

Como o valor da amizade que perdura e perdurará <3

Joana, gosto muito (muito) de ti miúda <3! Obrigada por tudo o que fizeste por mim no trabalho constante de aprendizagem e paciência. Acho que tenho cumprido com a atitude  que me ensinas-te de persistência e trabalho.  <3

Hoje escrevo sozinha, mas o “Bê a Bá” foste tu e a professora Rosa que me ensinaram. Por isso obrigado miúda.

Rita