A felicidade nas pequenas coisas

 

IMG_3322

Digo-vos por experiência própria que nós raramente nos apercebemos da “nossa” realidade. Fartamo-nos de pintar a “manta”, aliás poucas são as vezes em que nos sentimos realmente realizados.

Muito poucas vezes, vejo uma pessoa a sorrir, de forma genuína

A abraçar de forma completa

A procurar na simplicidade a felicidade.

A dar sem estar à espera de receber algo em troca.

A ouvir sem julgar.

E sabem porque é que isso acontece? Têm tudo e mais alguma coisa ao seu dispor. Para além disso, acham-se donas do mundo e da razão. Acham que tem o poder de controlar tudo.

A verdade é que se pensarmos bem, nós não controlamos nada.

Mas essas pessoas acham sempre que sim. Gostam dos outros também só quando lhes apetece e só porque sim.

Querem sempre mais, mais e mais. Nem se percebem que esse mais, mais e mais já é precisamente o seu mundo.

Sinceramente, acho que cada pessoa vive como quer e lhe apetece, o grande problema é que quase sempre se esquecem das pequenas coisas e dos outros.

Podem ter tudo e mais alguma coisa, mas não têm o mais importante que é a simplicidade. Estão sempre na sua zona de conforto não conhecem nem estão para conhecer mais nada nem mais ninguém.

O que é uma grande seca!

Falo por mim, gosto de conviver com todo o tipo de realidades e pessoas, pois só assim, é que me consigo aperceber que ao contrario do que por vezes possa pensar, vivo num paraíso e é nesse tal paraíso que o meu mundo assenta.

É sempre bom sairmos da nossa zona de conforto e mostrar aos outros que não se queixam da realidade da sua realidade que o mundo tem várias cores e formas, é muito para além daquilo que para eles já é conhecido.

O melhor mesmo é darmos a provar aos outros um bocadinho do nosso mundo para que eles facilmente perceberem que o paraíso também existe.

Sorrisos e abraços sinceros é que o mundo mais precisa.

Deixo-vos aqui uma foto minha e da Ruslana, que embora já seja de anos anteriores, acho que é muito gira. Poucas são as vezes em que se deixa fotografar, quando isso acontece (o que é muito raro) esboça um sorriso gigante, igualzinho a este que ficou registado no tempo, na foto!