Já vale a pena gritar

Setembro 11, 2017 Rita

Já não vale a pena gritar.

Acho que chegamos a esta conclusão em várias fases da vida e por diversas situações que ela nos apresenta.

Podemos dizer isto por descrença de que algo vai melhorar ou porque simplesmente já não temos outra escolha senão estar serenos e com fé de que realmente tudo vai melhorar.

Ser-se resiliente não é uma coisa que esteja ao alcance de todos ser. Ainda assim, não acho que por ser uma miúda resiliente seja mais ou melhor do que a pessoa que está ao meu lado e que já não consegue ter a certeza de que melhores dias viram. Até porque eu, embora seja resiliente, às vezes também sou  descrente…e isso é um problema? Não de todo! Até a pessoa mais forte de todas, pode desmoronar-se a qualquer momento, portanto se formos a analisar bem, todos nós temos, os dias bons e maus.   

  E então, qual é o grande segredo dos resilientes?

Talvez seja o sentido de humor.…! Que não está formatado. Acredito que seja uma boa forma de estar na vida. Juro. Há momentos que se eu não inventar uma piada para me rir de mim própria, dou completamente em maluca e como chego a um ponto de exaustão tal (de dores físicas e psicológicas) que se não temperar as coisas com um bocadinho de humor (feito por mim e para mim) entro em modo “só me faltava mais esta” e “,mas que mal fiz eu a deus?” Ahahahha

A verdade é que não se deve pensar sem parar em naquilo que acontecerá depois, é uma incógnita, além disso acredito: o que tiver de ser será.

Há dias, estavam os meus queridos músculos em dia não, eu desesperada com dores em que  mal alguém me tocava nas pernas eu gritava, tal era a dor.

Apesar das dores serem muitas e eu estar com vontade de chorar, num instante em que o meu pai me estava a mover as pernas para me puder ajudar a sair do carro, e  eu já estava  a sentir a dor o que o levou pedir-me desculpa por me estar a mexer e fazer com que que me doe-se….como vi que ele já não sabia o que me havia de fazer para me passarem disse-lhe naquele momento:- esquece, já nem vale a pena gritar!” ele começou-se a rir ás gargalhadas e disse “ és mesmo engraçada”e eu antes que ele quisesse fazer-me mais elogios de pai completamente derretido, disse “pronto!  Pelo menos isto há de dar um bom texto!”

Não sei se deu um bom texto ou não, mas pelo menos deu para perceberem que me passam coisas muito malucas pela cabeça quando o MEU corpo desgovernado decide  armar-se em metrologista antecedendo  em dores o tempo que no dia seguinte  se fará sentir.

4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *