É difícil compreender?-por:Micaela Ferreira

Julho 5, 2017 Rita

É Difícil Compreender?

Como é a relação da Rita com pessoas da idade dela? A resposta é simples, mas parece que ainda existem pessoas que não a conseguem entender, então eu como adolescente passo a explicar de uma forma bem simples. A nossa relação com ela é uma coisa fantástica! Acreditem, tão fantástica que é igual à relação com qualquer outra pessoa! É verdade, não muda nada, é apenas uma de nós! Parece mentira?

Bem na verdade pode sim ser um pouco diferente… Traz umas quantas vantagens como:

-ela vem com cadeira, ou seja poucos problemas em cafés ou restaurantes;

-espaço para malas (a cadeira é a melhor amiga);

-boas risadas por quanta ignorância ainda existente, ahh e claro pelas nossas maravilhosas e adaptadas ruas;

-casas de banho grandes (dão sempre jeito para nos arranjarmos não é verdade?);

Vá ainda existem algumas mais, mas não quero que achem que podem todos ser amigos dela ou arranjar alguém com uma cadeira para fazer amizade, até porque deviam ter-me avisado antes de me meter numa dessas… os meus pés já não sabem contar quantas vezes a roda pisou neles e o meu coração não sabe também quantas vezes já parou quando numa descida a única coisa que conseguia pensar era “Vou deixar a criatura cair e ainda por cima vou cair com ela! Ela por acaso não leva as malas na frente? E os telemóveis?!”   Mas isto não é o pior, para além disto, ela ainda tem um blog e é conhecida, fazendo-me parar a cada dez metros para alguém dizer alguma coisa… é irritante quando juntamos à pausa do “Como estás?”, uma das tais descidas, por tanto eu por bem dos meus braços e de todos os amigos dela respondo a essa pergunta por ela, “Vai tudo sobre rodas!”. Mas como sei que ela gosta de conhecer os seus leitores façam-me apenas estes favores: avisem se vão ficar muito ou pouco tempo a falar com ela, só para eu saber se o melhor é ela travar a cadeira, e por favor, não finjam que os amigos dela não existem, é constrangedor, não queremos roubar o tempo de ninguém é só dizer “olá” porque nós também não sabemos o que fazer!

Já que estou a escrever, vou aproveitar-me para dizer umas coisas que normalmente não posso dizer, a primeira é que ela não é nada a mais, nem a menos por estar sentada numa cadeira com rodas, ou seja, ela faz tudo o que um adolescente que anda com duas pernas o dia todo (por favor não nos chamem de “normais” ,isso é mau demais, combinado?) até as coisas mais irritantes.

Quando somos amigos de alguém temos de aceitar a pessoa com todos os seus defeitos e qualidades, mas não, o defeito da Rita não é de maneira alguma a Paralisia Cerebral, se eu ou qualquer outro dos amigos dela achasse isso então não seriamos amigas dela e seriamos apenas pessoas ignorantes. Sim ela tem coisas que me irritam, no entanto, de uma boa forma, até engraçada, ela não nos deixa falar e começa a rir/gritar connosco mesmo que estejamos só a citar factos.

Tem também qualidades e adivinhem lá? Também não é a Paralisia Cerebral! Ela conversa connosco o tempo que for necessário quando estamos mal e tentou sempre animar-nos mesmo quando estava com dores, ela não deixou que isso fosse um problema na sua relação com os outros.

Acho que já perceberam o que eu quero dizer, certo? Bom para os que não perceberam a mensagem é “A Paralisia Cerebral não é uma qualidade ou defeito, mas parte da Rita.” Simples assim.

No entanto definitivamente a PC da Rita ajudou a construi-la, logo ela também está presente na nossa vida, ensina-nos todos os dias! Não é por ser um problema de saúde, toda a gente tem algo para oferecer, no caso da Rita é entre outras coisas, a Paralisia!

A segunda é um pensamento que nem mesmo partilhei com a Rita apenas guardei para mim, ela está apenas a ler isto agora, como se sentiriam se vos perguntassem “Como é a tua relação com pessoas da tua idade?”  mal não é? É como se ao fazer a pergunta já estivessem a dizer que a pessoa tem algo de “errado”,  se existe algo que eu tenho de agradecer à Rita é que conviver com ela fez-me pensar como seria estar naquele lugar, e porque não acredito que nada aconteça por acaso eu fui mesmo parar ao lugar dela, também eu estive sobre rodas, também ouvi coisas que não gostava e ia buscar a minha força também a ela, eu sentia-me acompanhada, existia alguém que estava na mesma situação e por isso eu acredito que a minha experiencia foi bem mais fácil do que teria sido sem a Rita, e mesmo que essa fase da minha vida tenha passado eu nunca me vou esquecer de como é estar no lugar dela, eu vou para sempre estar no lugar dela! Portanto existe algo que queria que toda a gente no mundo tivesse, uma coisa chamada EMPATIA! Antes de falar, vamos fazer todos o exercício de nos colocarmos no lugar da pessoa, aposto que depois que toda a gente fizer isso o mundo vai ser um lugar melhor.

O mundo não é um mar de rosas e por esse motivo ela passou por problemas em arranjar amigos, acho que a toda a gente que é considerada “diferente” pela sociedade já passou por isso, mas no caso dela para tornar toda a situação “melhor” ainda teve de levar com uma carga excessiva de falsidade, tratamentos estranhos e ser ainda considerada uma eterna bebé… Hello? Ela cresceu ( 5 centímetros na ultima cirurgia ahahah) e por isso as pessoas têm de a tratar como a adolescente que é hoje. Agora que se vê rodeada de gente da idade dela, que realmente gosta e se preocupa com ela, pode viver esta fase da vida, assim como continuará a faze-lo a vida toda se depender de nós e daqueles que a amam!

Tinha tanta coisa para dizer mas agora que é suposto escrever faltam-me as palavras… Quero apenas que saibam que ela tem sim alguém com quem sair, tem quem a segure, tem pessoas para se rir, tem pessoas para a levantar, e tem pessoas para fazer amizades inquebráveis!

Parabéns por estes 4 anos a tentar destruir preconceitos, eles chegam a todos e ter alguém que escreva sobre eles e nos faça ver que não somos os únicos é ótimo.

Ahh só para avisar, se o texto estiver muito honesto, faz parte da idade

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *