Ser apenas uma adolescente igual às outras 

Junho 29, 2017 Rita

Se imaginava que esta imagem alguma vez  poderia tornar-se real? Não! Nunca nem nos meus maiores sonhos….

Desde que nasci, além de fazer parte de umas estatísticas diferentes das pessoas da minha idade, ou seja, aquelas estatísticas em que a única coisa que salta à vista, são igualdades e parecenças que só uma parte muito pequena, da sociedade tem….

Esta minoria da qual faço parte, sempre foi vista pelo resto da sociedade como “os diferentes” o que acho piada no meio disto tudo, é que dizem isto como se tivessem descoberto a pólvora…Quando na verdade, quem descobriu a pólvora foram os outros, aqueles que conseguem perceber que quer queiramos quer não fazemos todos parte “dos diferentes” …Ah! Pois…caso não tenham percebido, somos todos muito diferentes, a isso se chama diversidade humana.

Pronto, mas continuado com a conversa senão nem amanhã saio daqui!

O facto de eu fazer parte dos “diferentes não aceites pela sociedade”, fez com que desde que me conheço, tenha estado sempre no meio de adultos! E claro, como não tinha quase tempo para bonecos, comecei a brincar com os adultos. Eles, aliás sempre foram o meu grande fascínio. Foram o que decidi (agora mesmo!) chamar “os meus nenocos em ponto grande” Aahahaha

E por isso entrei num ciclo vicioso que passo a explicar!

Quando me comecei a ver-me mais livre da fisioterapia e dos tratamentos chatos, achei que aquela era uma boa altura para desembrulhar os nenucos que já começavam a ganhar pô!  Tinha eu  uns oito anos! E, nesta altura fiquei eu no meio de adultos e dos meus queridos nenucos!

Quando voltei, com 11/12 anos, a embrulhar os meus nenucos e a tira-los do meu quarto foi precisamente na altura em que senti, vontade e até necessidade de me dar com pessoas da minha idade.

Não sei mas pensei que uma aprendizagem em conjunto fosse interessante para ambas as partes. Antes já tinha tentado, mas como sempre fui persistente  tentei mais umas quantas…Mas por fim, acabou   por não se concretizar novamente de forma verdadeira é claro que tinha bons amigos da minha idade, mas verdadeiros, eram apenas, uns dois ou três. E eu tinha perfeita noção disso e deixei de acreditar (não que isso me tenha criando feridas realmente expostas) que isso inclusão no meu grupo de amigos iria ser sempre impossível!

Até que, no 10ºano quando me separei da turma que já me acompanhava desde o primeiro (também tinha lá alguns bons amigos) a magia aconteceu de forma natural.

Ou seja. Comecei uma nova vida. Uma relação de renovação de energia positiva comigo e com os outros e com a forma como eles veem a minha deficiência.

Nunca lhes impus a minha presença, nem nunca eles me esconderam uma festa porque não queriam que vá (isso antigamente acontecia quase sempre…)

Estou onde eles estão. Sem mãe nem pai nem cão nem gato, tal e qual como eles… <3

Isto é magia natural. Que foi acontecendo. E faz-me bem a mim e a eles. A mim porque me cuidarem da alma e deixam-me o coração a transbordar. E a eles porque até me agradecem pois ao mesmo tempo que empurram e pegam a peso em mim e na cadeira a peso,  para puder chegar aos sítios onde não tem rampa(um filme que era escusado se houvessem acessibilidades de jeito…) estão a fazer exercício físico sem precisar de ir até ao ginásio…

Escrevi este texto não para expor os meus amigos mas sim para mais uma vez lhes agradecer, mas também porque acho que este tema não é falado de forma realista e no verdadeiro sentido da questão. Aliás é um tema que as vezes é evitado com um “Ah! Não tenho paciência nenhuma para pessoas da minha idade” eu também já o disse… Isso  funciona sempre(calma também há exceções)  como uma defesa contra as inseguranças e desilusões que se possam vir a ter…., mas isso toda a gente a tem! Não é só “por não fazer parte do padrão normal da sociedade” que vamos ser e querer alcança menos que os ditos normais.

E finalmente  chegou a dia em que percebi que realmente tinha paciência para pessoas da minha idade…e deixei as inseguranças para trás.

Se eu estou assim feliz, tu que me lês (podes não acreditar, mas…) também chegará o teu momento em que serás apenas tu sem a tua diferença a ser confundida com a tua essência. Acredita

E quando me perguntam qual é a minha relação com pessoas da minha idade? É exatamente esta !

Em que a cadeira é apenas um acessório e um sou apenas uma adolescente como tantas outras 🦋!

A logística já é feita naturalmente e sem dramas ✨!

Isto sim é estar bem resolvida comigo com a vida com os meus amigos e eles comigo, ou seja, já sabem que não têm outra escolha senão aturar o meu feitio !

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *