OLYMPUS DIGITAL CAMERAEu já, aliás tirando hoje é sempre.

Sei lá eu quantas vezes já sorri…

Não têm mesmo conta as vezes que isso já aconteceu. E ainda bem!

Vejo no sorriso luz. O meu sorriso é reflexo da luz da minha alma.

Um sorriso pode motivar

Pode ser uma forma para não desistirmos.

Pode ser o animo que precisamos para continuar.

Desde que existo, tenho grandes memórias que me provocaram muitos risos.

E quantas vezes também já sorri com uma dor profunda na alma? Algumas vezes e não me arrependo disso porque é uma forma mais do que inteligente de gerir a dor quer física quer psicológica, sem ter de estar totalmente concentrada ela…

Juro. Eu sei que isto parece de loucos. Mas eu, principalmente nestes últimos tempos posso chorar de forma compulsiva, mas passado algumas horas ou passado alguns minutos estou a rir do meu próprio choro. Não me perguntem como nem porquê, mas a minha alma, que é bem mais louca do que aquilo que imaginam, é assim intemporal e inconstante.

Nos seus desvaneios, ela tem sempre razão!

Quem disse que precisamos de andar sempre a “fazer de conta” que estamos felizes?

Por amor de deus! Há momentos para tudo. Nem sempre, nem nunca!

Não temos nenhum compromisso com a tristeza nem com a felicidade!

Temos sim connosco próprios, o compromisso de aproveitar a vida sem, mais demoras! Por isso, bora lá viver a vida a nossa maneira.

Claro, não dispensando o sorriso na cara! Mesmo que, de vez em quando, seja forçado…porque na verdade, ele só trás coisas boas. Basta acreditar e sorrir para o sol. Se não virmos por ventura o sol, basta esperarmos que o céu fique escuro e que a estrelas cadentes se deixem ver. E a “luz  cadente” regressa outra vez para a nossa alma.

É tudo uma questão de perspetiva e de nos darmos bem com a vida